domingo, 12 de setembro de 2010

5x Favela - Agora por nós mesmos

A proposta inicial do filme não é mostrar a favela dos bandidos,a favela dos policias,a favela de preconceitos. Mas sim a favela da comunidade; mostrando o ponto de vista dos moradores.
Por isso, o projeto deu chance para quem veio de lá, com orientação de alguns cineastas como Walter Salles, Ruy Guerra e Fernando Meirelles e a produção de Renata de Almeida e Cacá Diegues.
São sete diretores e com a busca de novas maneiras diferentes de narrativas é composto de 5 pequenas e diferentes histórias sobre moradores de diferentes comunidades cariocas; ganhando sete prêmios do III Festival de Paulínia.
Então vamos aos curtas:
•Fonte de Renda, de Manaíra Carneiro e Wagner Novais
Tem como protagonista o jovem da favela Maicon (Sílvio Guindane) que, ao passar na faculdade de Direito tem dificuldade de se manter devido aos altos custos dos materiais e, ao sofrer o preconceito de seu colega de classe, que achava que, por ele ser da favela, conseguiria drogas facilmente, se envolve com o tráfico, colocando em risco a vida de sua família, deixando o final um tanto quanto moralista.
•Arroz com Feijão, de Rodrigo Felha e Cacau Amaral
Tendo como protagonistas os dois amigos Wesley (Juan Paiva) e Orelha (Pablo Vinícius), ainda crianças, que tentam de várias maneiras conseguir um pouco de dinheiro para comprar um frango, que serviria de jantar para a comemoração do aniversário do pai de uma delas; é muito interessante a parte em que os diretores conseguiram reverter a lógica do “eu sou pobre, favelado e minha vida é injusta, por isso eu posso roubar você” quando os dois amigos são assaltados por alguns playboys.
•Concerto Para Violino, de Luciano Vidigal
Os principais personagens são três amigos de infância: Márcia (Cíntia Rosa), Jota (Thiago Martins) e Ademir (Samuel de Assis), que ao se reencontrarem, expõem terem seguido rumos opostos quando adultos. Polícia, música, tráfico, violência e compaixão são alguns dos temas explorados no curta.
Ao assistir o filme uma coisa não saia da minha cabeça: “... mas a proposta do filme não é livrar a favela de violência e tráfico? A proposta não era mostrar a favela na visão dos moradores? Porque estão nos mostrando(outra vez, novamente, de novo, mais uma vez, again) a violência do tráfico?”, depois de pensar mais um pouco vi que o projeto consiste em nos mostrar o ponto de vista dos moradores e infelizmente a violência e o tráfico ainda está muito presente em suas vidas, por isso, havia essa necessidade, para que não nos esqueçamos disso.
•Deixa voar, de Cadu Barcelos
Flávio (Vítor Carvalho), ao perder a disputa de pipas com um rival, deixa que a pipa de seu amigo voe para a favela vizinha(que é inimiga). Para buscá-la ele precisa ir até lá e apesar do medo, ele decide buscar a pipa.
É, o filme é só isso, chatinho... hahaha!
•Acende a Luz, de Luciana Bezerra
No curta que encerra o filme,temos uma comunidade que lida com a pobreza através do riso e não do choro, é uma história baseada em fatos reais, é o que mais se aproxima do cotidiano da favela, mostrando aquilo que não é noticia de jornais,quando um operário da companhia elétrica é feito de refém até que a luz seja restabelecida para a véspera do natal. A revolta dos moradores é desorganizada, hora ameaçam o técnico, hora lhe oferecem café ou cerveja.
É em uma parte, com um comentário, que o projeto fica mais claro: “Aqui é natal também”, fala o operário da companhia elétrica para um outro que negava levar uma peça necessária para o estabelecimento de energia ao local.


Um filme com gente do povo, amadores, profissionais, histórias humanas, realidade, paixão, humor e crítica social.
Quanto aos curtas, alguns eram muito bons, outros nem tanto, o que é característico destas narrações.


"A escolha é a alma gêmea do destino." (Sarah Ban Breathnach)
"Você faz suas escolhas, e suas escolhas fazem você." (Steve Beckman)

3 comentários:

  1. A idéia do filme é interessante, mostrar um outro lado das favelas.

    Valeu por visitar meu blog, estou linkando seu endereço lá.

    Até mais

    ResponderExcluir
  2. Oi Mari, tudo bem?
    Pois é, Cinco x favela é um projeto interessante. Como cinema não é tão representativo quanto projeto. Enfim, vc discorreu bem sobre a obra. Só não concordo com a sua avaliação quanto ao curta Deixa voar. Para mim é o mais singelo, imprevisto e revigorado curta da fita...
    beijos

    ResponderExcluir