domingo, 12 de setembro de 2010

5x Favela - Agora por nós mesmos

A proposta inicial do filme não é mostrar a favela dos bandidos,a favela dos policias,a favela de preconceitos. Mas sim a favela da comunidade; mostrando o ponto de vista dos moradores.
Por isso, o projeto deu chance para quem veio de lá, com orientação de alguns cineastas como Walter Salles, Ruy Guerra e Fernando Meirelles e a produção de Renata de Almeida e Cacá Diegues.
São sete diretores e com a busca de novas maneiras diferentes de narrativas é composto de 5 pequenas e diferentes histórias sobre moradores de diferentes comunidades cariocas; ganhando sete prêmios do III Festival de Paulínia.
Então vamos aos curtas:
•Fonte de Renda, de Manaíra Carneiro e Wagner Novais
Tem como protagonista o jovem da favela Maicon (Sílvio Guindane) que, ao passar na faculdade de Direito tem dificuldade de se manter devido aos altos custos dos materiais e, ao sofrer o preconceito de seu colega de classe, que achava que, por ele ser da favela, conseguiria drogas facilmente, se envolve com o tráfico, colocando em risco a vida de sua família, deixando o final um tanto quanto moralista.
•Arroz com Feijão, de Rodrigo Felha e Cacau Amaral
Tendo como protagonistas os dois amigos Wesley (Juan Paiva) e Orelha (Pablo Vinícius), ainda crianças, que tentam de várias maneiras conseguir um pouco de dinheiro para comprar um frango, que serviria de jantar para a comemoração do aniversário do pai de uma delas; é muito interessante a parte em que os diretores conseguiram reverter a lógica do “eu sou pobre, favelado e minha vida é injusta, por isso eu posso roubar você” quando os dois amigos são assaltados por alguns playboys.
•Concerto Para Violino, de Luciano Vidigal
Os principais personagens são três amigos de infância: Márcia (Cíntia Rosa), Jota (Thiago Martins) e Ademir (Samuel de Assis), que ao se reencontrarem, expõem terem seguido rumos opostos quando adultos. Polícia, música, tráfico, violência e compaixão são alguns dos temas explorados no curta.
Ao assistir o filme uma coisa não saia da minha cabeça: “... mas a proposta do filme não é livrar a favela de violência e tráfico? A proposta não era mostrar a favela na visão dos moradores? Porque estão nos mostrando(outra vez, novamente, de novo, mais uma vez, again) a violência do tráfico?”, depois de pensar mais um pouco vi que o projeto consiste em nos mostrar o ponto de vista dos moradores e infelizmente a violência e o tráfico ainda está muito presente em suas vidas, por isso, havia essa necessidade, para que não nos esqueçamos disso.
•Deixa voar, de Cadu Barcelos
Flávio (Vítor Carvalho), ao perder a disputa de pipas com um rival, deixa que a pipa de seu amigo voe para a favela vizinha(que é inimiga). Para buscá-la ele precisa ir até lá e apesar do medo, ele decide buscar a pipa.
É, o filme é só isso, chatinho... hahaha!
•Acende a Luz, de Luciana Bezerra
No curta que encerra o filme,temos uma comunidade que lida com a pobreza através do riso e não do choro, é uma história baseada em fatos reais, é o que mais se aproxima do cotidiano da favela, mostrando aquilo que não é noticia de jornais,quando um operário da companhia elétrica é feito de refém até que a luz seja restabelecida para a véspera do natal. A revolta dos moradores é desorganizada, hora ameaçam o técnico, hora lhe oferecem café ou cerveja.
É em uma parte, com um comentário, que o projeto fica mais claro: “Aqui é natal também”, fala o operário da companhia elétrica para um outro que negava levar uma peça necessária para o estabelecimento de energia ao local.


Um filme com gente do povo, amadores, profissionais, histórias humanas, realidade, paixão, humor e crítica social.
Quanto aos curtas, alguns eram muito bons, outros nem tanto, o que é característico destas narrações.


"A escolha é a alma gêmea do destino." (Sarah Ban Breathnach)
"Você faz suas escolhas, e suas escolhas fazem você." (Steve Beckman)

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Avatar


E mais um vez Cameron mostra que não veio para brincar de fazer cinema. "Avatar" foi iniciado após o fim das gravações de Titanic. Porque tanta demora para a estréia? "Avatar" foi uma inovação em termos de tecnologia cinematográfica com desenvolvimento em visualização 3D, tais tecnologias foram possibilitadas pela chamada "performance capture", que significa captura do movimento, com apenas 40% de suas cenas gravadas com atores reais e 60% criadas em computaçao gráfica. Mas é claro que estamos falando de equipamentos caros e complexos, ja que proporciona gráficos mais detalhados das ações do objeto e também detalhes expressivos do corpo, gerando um custo total do filme de aproximadamente 500 milhões de dólares.

Enfim, vamos ao filme:

É o ano de 2154, o planeta Terra está sem energia, e com o objetivo de reabastece-lo, uma corporativa humana explora o minério chamado Unobtanium no planeta chamado Pandora.
Pandora é um planeta com uma vegetaçao similar a planície da floresta amazonica e está a 4.4 anos luz da Terra com uma imagem de como seria o lugar que chamamos de Paraíso. É um planeta cheio de mistérios e maravilhas, com uma diversidade incrível de animais e plantas, fascinantes e perigosos, que nos remete aos nossos sonhos. O mais fascinante de Pandora é o modo como os seres vivos podem se comunicar, é como se fosse um sistema nervoso que unisse todas as coisas em Pandora. Porém, os seres humanos nao conseguem respirar em tal planeta, devido ao excesso de dióxido de carbono.
Em Pandora, junto com os outros seres vivos, vivem os Na'vis, humanóides azuis, com caudas,medindo quase 3 metros de altura.
Os pesquisadores humanos, criam um programa chamado Avatar, em que criam humanos-na'vi geneticamente modificados, uma vez que o doador humano compartilha seu DNA ao dos Na'vi, ele tem o poder de controle do seu Avatar. É nesse momento que somos apresentados a Jake Sully(Sam Worthington), um ex-fuzileiro paraplégico, irmao gemeo de Thomas, falecido doador de DNA ao programa. Como apenas os doadores podem controlar seu avatar, e o DNA de Jake é compativel, ele concorda em substituir seu irmao. E é na visao de Jake que somos apresentados ao mundo de Pandora.
Em sua primeira viajem a Pandora, Jake é atacado por um animal local e se perde do grupo, a noite é atacado por outros animais, mas é salvo pela Na'vi Neytiri. Muitos meses vao se passando e na transiçao de Jake entre o mundo real e o mundo de Pandora vai se tornando cada vez mais interessante. Jake vai nos mostrando a cultura dos Na'vi, suas fortes ligaçoes com a natureza e sua inteligencia.
Após a invasao dos humanos em Pandora, Jake tenta avisar os Na'vis para fugirem, se nao seriam massacrados, após a tentativa é preso e desconectado de seu avatar pelos humanos, mas com a ajuda de outros, ele foje e se conecta novamente ao seu avatar para ajudar os Na'vis a se defenderem.
Uma guerra se inicia em Pandora, os humanos com armas de ultima geraçao e os Na'vis com armas primárias, a derrota dos Na'vis estava certa, até receberem a ajuda de todos os seres vivos de Pandora, enviados pela deusa Eywa.
Após a derrota dos humanos ( pela primeira vez, né gente? ) eles sao expulsos de Pandora, permitindo apenas a permanencia de alguns.

O roteiro de Avatar, na minha opiniao, nao se diferencia tanto daqueles de outros seres, em outros planetas a muitos anos luz em um futuro distante, já que hoje em dia, filmes sao "todos" cliches de outros. Porem, Avatar é o melhor em seu genero, com uma perfeiçao indescritível. Vale a pena assistir, umas 3 vezes, hahaha.

domingo, 1 de novembro de 2009

Elizabeth - A era de ouro



Filme indicado pelo meu querido professor de história, Jodenir.
O filme se passa em 1585, durante o reinado da Rainha Elizabeth I.
A Espanha ainda é o maior império, porém, inicia-se uma guerra santa para difundir o catolicismo, planejando matar a rainha inglesa Elizabeth I (Cate Blanchett), para que a rainha escocesa Mary Stuart (Samantha Morton)assuma o trono. Ao mesmo tempo em que tem de lidar com as ameaças ao trono, Elizabeth precisa resolver sua solidão.
Traições, romance, guerra, paz, se misturam formando uma combinação perfeita.
Após muitos candidatos, Elizabeth, se apaixona pelo aventureiro Sir Walter Raleigh(Clive Owen), que se encontra as escondidas com a sua protegida e amiga Elizabeth Throckmorton(Abbie Cornish); quando descobre, Elisabeth fica enfurecida, mas depois lhes concede o perdão.
Sentindo-se casada com o seu país, recusou-se a aceitar um marido apesar das exigências de conselheiros e do parlamento inglês para que casasse e tivesse um herdeiro. Sendo mais tarde apelidada de Rainha Virgem
Elizabeth I, no meio dos penteados e da sua pálida face de boneca, era uma rainha inteligente e carismática, controlada e controladora.

Se nós conseguirmos observar a perfeição, podemos facilmente deixar-nos envolver pelo belíssimo figurino de Alexandra Byrne, e um guarda-roupa que transforma Elizabeth numa deusa mítica. De tirar a respiração é também a impressionante cena de batalha naval, dos barcos espanhóis, contra os quais Inglaterra lançou navios em chamas.

Mais do que merecido o Oscar de melhor figurino.
direção: Shekar Khapur

domingo, 19 de abril de 2009

Evocando Espíritos



Baseado em uma história real, apresentada no documentário "A haunting in Connecticut", pelo Discovery Channel.

"Por quê acontecem coisas ruins com pessoas boas? Eramos uma família comum, como outra qualquer. Não pedimos por isso e não mereciamos."

Tudo começa quando Matt(Kyle Gallner) é diagnosticado com câncer e mal de alzheimer e a família Campbell se muda para uma casa perto da clinica de Matt,que anos antes, era sede de uma funerária.
Logo ao chegar, o comportamento de Matt muda radicalmente e passa a presenciar varias atividades paranormais na casa(lembrando que o adolescente está no meio de um tratamento experimental contra o câncer que pode colateralmente produzir alucinaçoes).
Aos poucos, começamos a perceber que os antigos donos da funerária também faziam sessoes espíritas na casa; com a ajuda de Reverend Popescu(Elias Koteas) e de toda a família, eles terão que responder a pergunta: "Por que eles ainda estão entre nós?".
Com um ótimo elenco e uma ótima produção de maquiagem;porém o filme tem o seu desfecho um pouco forçado e confuso.
Contêm sessoes eletrizantes de suspense desde as primeiras cenas até a última, aonde o diretor consegue também equilibrar o drama familiar e o terror.
Já estou cansada de ver filmes com casas mal assombradas, ectoplasmas... "Evocando espiritos" não é diferente, porém com uma estrutura mais elaborada.
Recomendo, nem que seja para levar uns bons sustos.


sábado, 14 de fevereiro de 2009

Moulin Rouge


Moulin Rouge-Amor em vermelho é um filme de Baz Luhrmann.

Uma história sobre uma época, uma história sobre um lugar, uma história sobre gente, mas acima de todas as coisas uma história sobre amor.

Conta a história de uma prostituta e de um homem que se apaixona por ela.É um filme musical que se passa no ano de 1900 em Paris. Conforme as cortinas são erguidas, somos apresentados a Christian (Ewan McGregor) um jovem inglês que vai á Paris para se tornar um escritor; mas como falar de amor, se nunca se apaixonou por ninguém?

Quando conhece um grupo de artistas, é influenciado a escrever uma peça de teatro; quando vai ao Moulin Rouge(boate mais famosa de Paris por possuir as melhores cortesãs, sexo, drogas, muita adrenalina e can-can) em busca de financiamento e se apaixona pela estrela da casa Satine(Nicole Kidman).

Eles se encontram e se apaixonam profundamente; mas esta é uma história de amor trágica em que o amor está condenado. Sem que Christian saiba, Satine está morrendo de tuberculose e está prometida a Duke(Richard Roxburgh), financiador da transformação do Moulin Rouge num teatro bem como o dono das ações.

Primeiro desejo, paixão, suspeita, ciúme, raiva, traição; mas o “show deve continuar”.

O duque faz o seu objetivo final ameaçando Harold Zidler(Jim Broadbent) que se Satine não ficar com ele no final da estréia da peça, Chistian é morto. Ao saber disso, Satine usa de seus talentos e o tenta convencer que não o ama mais e que vai ficar com o Duque. Christian preenchido pela dúvida, volta ao Moulin Rouge na noite de estréia. Quando está prestes a abandonar o teatro, Satine começa a cantar a sua canção secreta, e ele volta para cantar com ela.

A cortina se fecha; Christian e Satine estão juntos, mas não por muito tempo. Satine começa a tossir violentamente e é aqui que Christian descobre que ela está a morrer. Nas suas palavras finais, ela pede para que ele escreva a sua história, para que assim eles estejam juntos para sempre. Depois dessas palavras, Christian a abraça e ela morre em seus braços.

O filme termina com Christian escrevendo a sua história depois de passado um ano. Acaba com "Esta é uma história de amor. Um amor que viverá para sempre. Fim".

Ganhador do Oscar de Direção de arte e melhor figurino; também indicado ao Oscar de melhor filme; melhor atriz, fotografia, edição, maquiagem e som; tem muitas de sua trilha sonora conhecida. Ame ou odeie essa obra de arte visual, você não poderá dizer que já viu algo assim.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Ensaio sobre a cegueira


Ensaio sobre a cegueira é um filme de Fernando Meirelles; o mesmo diretor de Cidade de deus e o Jardineiro fiel. É a adaptaçao do premiado livro escrito por José Saramago.
Um filme de gênero drama, recheado de suspense.
O filme começa em um ritmo mais acelerado, com um homem que perde a visão enquanto dirige, e mergulha em uma espécie de névoa assustadora. Essa misteriosa epidemia é chamada de cegueira branca, pois de acordo com os medicos é como se acendessem todas as luzes, e nao as apagassem (como realmente é a cegueira); ela é contagiosa e começa a se espalhar pela cidade. A medida que a doença se espalha, o panico e a paranoia contagiam as pessoas. As novas vitimas da doença são colocadas em quarentena em um hospício caindo aos pedaços. No meio de todas as vítimas, se tem uma testemulha ocular secreta (
Julianne Moore), que finge ser cega para ficar ao lado de seu amado marido (Mark Ruffalo).
Assim como o meu ultimo post ( Fim dos tempos ); esse é mais um filme metafórico que simboliza que todos vivemos em uma sociedade cega; cegos aos acontecimentos que nos rodeiam e que poucos conseguem enxergar esse mal. É um filme que nos faz refletir que apesar de enxergamos, assumimos o papel de cegos, querendo nao enxergar toda a crueldade do mundo; que só corremos atras daquilo que nos tras beneficio e necessario para a nossa sobrevivencia. Nao estamos mais enxergando o amor ao proximo, a caridade. Estupro, racismo, sexo, violencia... tudo tratado de uma forma mais exagerada com a intensao de percepsao clara : se nós criamos, logo seremos vítimas.
Há apenas dois pontos que valem a pena ser destacados:
1- algumas atuaçoes deixam a desejar, já que muitas vezes os personagens procuravam coisas com os olhos, corriam nas escadas e tinham total equilíbrio; uma vez que, quando cegos, perdemos total senso de direçao e equilibrio.
2-Como nao detalhavam sobre o "mundo" fora do hospital abandonado, não deixou nem um pouco claro que no "mundo externo" estavam a procura de uma cura ou não para a epidemia.
Espero que tenham gostado do filme, ou que isso os façam mudar um pouco de idéia.
até a proxima :*

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

FIM DOS TEMPOS

QUEM NÃO VIU O FILME, NÃO LEIA O POST !
Mais um filme de M. Night Shyamalan.
O filme expõe uma crise ambiental de larga escala que força a humanidade a combater a natureza para sobreviver. A crise é iniciada por uma suposta toxina invisível, que leva a população à loucura e induz ao suicídio.O filme começa no tranquilo parque de Nova Iorque, aonde eventos supostamente terroristas começam a acontecer.Ao mesmo tempo, na Filadélfia, o professor de ciências Elliot(Mark Wahlberg) está explicando o agravamento do efeito estufa, mas o principal parte desse momento é quando um de seus alunos diz que nunca entenderemos muitos fenómenos da natureza, que muitas coisas serão sempre um mistério(o que dá uma introdução ao filme).Com o agravamento do suposto ataque terrorista, a escola manda que liberem os alunos para suas casas.O governo dos EUA expõe que todos esses fenómenos são graças a uma crise ambiental, iniciada por uma toxina invisível que leva a população a loucura; a partir desse momentos, Alma(Zooey Deschanel), Julian(John Leguizamo) e Jess(Ashlyn Sanchez) tentam fugir junto com Elliot dessa suposta toxina. Depois de descobrir que a natureza libera essa toxina quando se sente ameaçada, eles se separam do grupo e ficam em uma casa, aonde são recebidos por uma senhora.Bem, depois de três meses, tudo volta ao "normal"; pelo menos é o que eles pensam, já que essa crise está atingindo todo o mundo.Tá, isso é o que todo mundo viu; basta enxergar o que esta implícito.A relação do casal principal é uma analogia entre o homem e a natureza, a criança representa esse novo elo que tem que ser cuidado entre o homem e a natureza, de uma forma não prejudicial ambas as partes; a senhora da cabana abandonada representa a natureza, é só entender as atitudes dela ( ela fala que o mundo esqueceu dela, é super desconfiada, achando o tempo todo que o casal está ali para rouba-lá). A natureza, no filme, tem medo do homem, e a toxina é a uma forma de auto-defesa, uma forma bem pensada de mostrar que nos dias de hoje o homem está automaticamente se matando pois são as plantas que nos dão oxigênio para sobrevivermos. Caso alguém não tenha entendido a cena do inicio e a do fim, quando apenas uma pessoa consciente enxerga todas as outras pessoas se matarem, o autor quis mostrar que são poucas as pessoas que conseguem enxergar o mal que o homem está fazendo para a natureza, uma em meio de varias.E ai galera, pensaram por esse lado ?voltem sempre :)
video